Não durma no sofá - A importância de fazer as pazes no casamento

6.1.16


Hoje quando estava na minha jornada diária no transporte público, me veio esse assunto, essa meditação, e eu vou explicar porque...
Eu estou lendo um livro bem legal, chamado O Momento Mágico, e ele fala muito de casamentos mas fala muitos dados a respeito de divórcio, separações e as possíveis causas dele. O autor aborda também sobre a maturidade que as pessoas têm ao decidir se casar e como a forma de encarar a relação pode interferir no sucesso do matrimônio, e aí me veio a mente dois momentos e todos aqueles pensamentos divagantes que deram origem a esse post.

Pra quem me acompanha a algum tempo, sabe que sou casada há exatamente um ano e um mês, e se contarmos o tempo de namoro e noivado, eu e o Well estamos juntos há mais ou menos dois anos e meio. Nesses pouco mais de dois anos, nós nunca tivemos uma briga de verdade, sabe daquelas de ficar sem se falar, de dizer coisas infames e tal? Pois é, nunca brigamos. Desde que casamos só dormimos separados em duas situações: quando eu viajei, e quando tive que ficar com minha mãe que estava doente. Mas nunca estivemos na mesma casa sem compartilhar o leito, e o mais importante: nunca dormimos "de mal" um com o outro.

Aí você pensa: "Nossa, casada há tão pouco tempo e já se acha, vai esperando queridinha que uma hora a coisa esquenta" ou então "Até parece que a relação dela é perfeita"... Mas a realidade é outra tá, gente...
Eu sinceramente pretendo passar toda a minha vida ao lado do meu esposo, eu levo a sério o "até que a morte os separe", e já que eu tenho esse objetivo, eu sei que é bem difícil que passemos a vida toda juntos sem brigar, mas nós vivemos um dia de cada vez, e eu sou grata a Deus por cada dia de paz que tenho no meu lar.
É óbvio que nós já discordamos, já nos desentendemos, já ficamos chateados ou ressentidos com algo que o outro disse, mas algumas coisas fazem diferença pra nós: nós dois sempre buscamos reconhecer que magoamos o outro, e saber pedir desculpas por isso. Mesmo que no final das contas eu esteja certa, por exemplo, se magoei o meu esposo com uma palavra dura, vou lá e peço desculpas pelo menos por ter sido grossa. Segundo, a gente para a discussão antes que vire uma briga, simplesmente não levamos adiante... Melhor parar e respirar, que depois que a cabeça esfria, os problemas parecem menores. E por último, mas na minha opinião mais importante: nunca vamos dormir chateados um com o outro. Seja o que for, resolvemos antes de irmos nos deitar.

Um dia vi um pastor de famílias falando a esse respeito, isso foi antes de eu casar, que seja qual for a amolação, resolva antes de dormir. A Bíblia já diz que não devemos "deixar o sol se pôr sobre a nossa ira", e Deus sabe de todas as coisas...
Se você vai dormir magoado com o seu cônjuge, as chances de essa mágoa se estender por longos dias são enormes, além disso, a coisa mais comum de quando se está magoado com o companheiro é um dos dois ir dormir na sala... Isso é o veneno da relação, gente! E vira um vício, pois como seres humanos, a gente se habitua a fugir dos confrontos, se habitua a não dar o braço a torcer e então, dormir na sala vira um costume ao menor sinal de desentendimento, e quando você menos perceber, o seu companheiro se tornou um desconhecido.
aquele olhar... rsrs
Vou contar pra vocês um exemplo meu, se não tiver paciência pode pular para o último parágrafo rsrs.
Ontem saímos em família, fomos eu, meu esposo, meus sogros, tios e primos, fomos lanchar. Logo que cheguei pedi um suco, que demorou muuuuuito pra chegar, e como tinha cantado na igreja e comido tudo com pimenta fiquei morta de sede. Meu marido estava tomando refrigerante, mas quando meu suco finalmente chegou, ele foi dar aquela roubadinha, só que na hora ele acabou derramando parte do suco na mesa, na calça dele, e na minha roupa também. Na hora fiz uma birra básica, falei que não era justo já que ele já tinha tomado refri, e eu estava com sede, e que não tinha graça. Na mesma hora o semblante dele mudou, dava pra notar que ele ficou chateado pela forma com que eu reagi ao que era nada mais do que uma brincadeira que ele sempre faz, afinal desde sempre ele toma o primeiro gole de qualquer bebida minha rssrs Aquilo foi me incomodando, e uns cinco minutos depois cheguei perto do ouvido dele e pedi desculpas. Ele olhou pra mim, acenou com a cabeça, tomou um gole do refrigerante, e desatou a rir. Pronto, só a risada dele me fez esquecer tudo. E a noite terminou bem, sem brigas mais uma vez.
Pra vocês terem uma ideia de como é poderoso isso, já houve muitas vezes em que o contrário aconteceu, que eu fiquei sentida com a forma que ele me disse algo, mas é sempre a mesma coisa: minutos depois ele vem perto de mim, me abraça e pede desculpas, e sabe o que acontece depois de um tempo? Eu não lembro mais por qual motivo exatamente fiquei triste ou chateada... Só consigo lembrar que fiquei, mas passou... 
A humildade presente no ato de pedir perdão tem o poder de impedir que feridas se abram. Isso não tem preço.

Hoje se criou um pensamento de independência total, de que você não depende de ninguém pra nada e que precisa se impor a todo custo. Mas no casamento não pode ser assim. Casais são cúmplices, são companheiros, são uma só carne. A individualidade é importante, mas enquanto o ego for o maior, a relação a dois enfraquece a cada dia, e o casamento se esfria.
Se você está se preparando para se casar, lembre-se disso: casamento também é renúncia, e é preciso muita humildade pra levar esse compromisso até o fim da vida.
Casamentos não morrem da noite pro dia, eles morrem com o acúmulo de várias mágoas. Não deixe-as acumular, se livre de todas no fim de cada dia, pra que caso você acorde no meio da noite, possa olhar pra pessoa que está deitada ao seu lado e pensar: Obrigada Deus, por ter nos colocado um ao lado do outro.
Exercite isso sempre, não é uma receita pra felicidade, mas garanto que ajuda.

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários

Sua opinião é muito importante!
Deixe aqui que eu vou amar saber!