Com licença, mas não sou obrigada!

26.10.16


Eu sempre fui o tipo de menina que é taxada de metida! Essa mesmo que batem o olho e falam: hummm, essa aí tem uma cara de ser nojenta, metida!". Pois é, a nojenta da frase no caso, sempre sou eu. Perdi a conta de quantas vezes eu ouvi: "Ah, a Laiara, antes de conhecer eu achava que ela era móh metida, mas depois que conheci vi que não é bem assim".
Claro que nem todo mundo gosta de mim depois de conhecer, aliás, há uma pequena multidão de pessoas que convive comigo há anos e continua não indo com a minha cara. Tudo bem, posso viver com isso.
Minha mãe também sempre me disse que eu era "muito fechada", que eu deveria "sorrir mais" e que eu "nem parecia ser filha dela". - minha mãe é do tipo que tem pó de pirlimpimpim, onde ela chega todos a amam instantâneamente.
Pois bem, e sabe o que eu tenho a dizer a respeito de tudo isso? Exatamente! Não sou obrigada!
Durante uma boa parte da minha vida eu realmente era grossa com as pessoas de propósito. Como sofria bullying na época da escola, a maneira de me defender era atacando antes de me atacarem, no entanto fui amadurecendo e aprendendo a filtrar melhor as pessoas que quero manter ao meu redor e aprendi também que não preciso ficar em modo de ataque o tempo todo, dá pra ser mais legal com as pessoas que convivem comigo.
Mesmo assim, o meu jeito de ser não mudou: não sou do tipo que distribui sorrisos o dia inteiro, quando ando na rua estou sempre séria, mas a minha feição é essa mesmo. Quando conheço gente nova não me solto logo de cara, prefiro ser mais reservada, e se a pessoa me der liberdade, aí sim entro no modo retardada de ser. Ah, tem outro detalhe: sou uma péssima fisionomista, e isso quer dizer que se eu te vejo apenas esporadicamente, se eu te encontrar fora de contexto dificilmente vou lembrar quem você é. E gente, isso faz parte da minha personalidade, isso tudo com mais um monte de coisas me torna a Laiara que eu sou. Ou seja, não sou obrigada a mudar para agradar X ou Y.
Por um tempo me esforcei enormemente para agradar todo mundo, e no final só fiquei exausta de tentar ser alguém que não sou, e aprendi que sim, tinha coisas em mim que poderiam mudar, mas por mim mesma. Fui lá e mudei. Mas para agradar fulaninho, ah, desculpa aí, mas não vou não!
Hoje sei que é bem melhor ter só ao meu lado as pessoas que entendem e gostam do meu jeito, e ter certeza que tais pessoas vão estar ali do meu lado, mesmo eu sendo uma ogra de coração mais gelado que a Elsa no castelo recluso.
E já que estamos falando de não ser obrigada, vamos falar de outro tópico: não sou obrigada a me descabelar e me desdobrar por coisas que não são de minha responsabilidade. Dar ajuda, tudo bem, mas sabe aquelas pessoas que se você dá a mão ela quer o pé, o braço, o joelho e todo o resto? Então. Chega de gente assim. Às vezes eu tô lá, na boa vontade de ajudar, e a pessoa me trata como se eu fosse empregado, não rola nem um por favor ou obrigada (aliás, meus chefes dizem por favor e obrigada mesmo me pagando pra fazer o que eu faço, muito amor!). Você fica ali, se descabelando, tirando tempo de onde não tem pra ajudar a criatura, e o serumano  não se digna nem a agradecer, e ainda fica te cobrando! Vê se pode! Pois bem, não sou obrigada a sacrificar meu tempo, minha saúde, minha família por causa de gente assim.
E esse texto desabafo tem como único objetivo mostrar que você também não é obrigado a nada!
Sério, experimenta filtrar o que você realmente precisa fazer, e separar daquilo que apenas os outros esperam que você faça, ou como os outros esperam que você seja. Tenho certeza que você vai ver uma grande mudança na sua qualidade de vida!

P.S.: Desculpa o sumiço, a vida anda mesmo uma loucura do lado de cá... Mas vou me esforçar pra trazer mais textos e mais conteúdo, tá!
P.S.²: A arte da imagem é minha, e lá no site da TOUTS tem caneca e capinha de celular com ela :D

  • Share:

You Might Also Like

4 comentários

  1. GRAÇAS A DEUS que não somos obrigadas a nada! HAHAHA
    Super me identifiquei com "sou aquela que não sorri" e "minha mãe acha que não sou filha dela".

    Vai que o "mal" é de nome? HAHA <3 Quero mais posts!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahhh vey, pq a gente não mora pertinho uma da outra, né?! hahaha

      Eliminar
  2. Bate aqui, Lai!
    Essa sua arte resume nossas vidas. Sempre fui taxada a minha vida inteira por ser metida ou antipática por pessoas que nem me conheciam, só por ser séria e mais no meu canto. Não somos obrigadas a serem felizes 24 horas por dia e espalhar sorrisos. Tem horas que da vontade de mandar tudo para aquele lugar mesmo kkkkkkkkkkkk
    Adorei o texto!
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Toca aqui, que a gente se entende! hehehe

      Eliminar

Sua opinião é muito importante!
Deixe aqui que eu vou amar saber!